sexta-feira, 12 de junho de 2015

Na data em que comemoramos o Dia de Santo Antônio quero homenagear a minha avó Preta.

Na data em que comemoramos o Dia de Santo Antônio quero homenagear a minha avó Preta.

Mas quem foi minha avó Preta? Pessoa linda de coração e que teve Fé inabalável em Santo Antonio, diariamente percorria pela manhã alguns quilômetros até a Igreja de São Thiago em Inhaúma no Rio de Janeiro para rezar e pedir a proteção de Santo Antonio.

Avó  Preta?  D. Filhinha ou Vó Filhinha como a chamávamos foi descendente de africanos e coração de ouro.

Vivia com um salário como todos os pobres da época, mas adorava  ver sua casa lotada dos "netos", que na realidade todos que se considerassem seus netos ela os adotava em seu coração.

De bondade nata trazida  ao nascer, não media esforços para confortar as pessoas, abençoar, ter respeito e carinho por todas as pessoas que conhecia.

Sempre que por algum motivo eu adoecia enquanto menina, percorria vários quilômetro após a missa das sete e ia até minha casa para me avisar que estava rezando para Santo Antonio em minha intenção.

Outro fato muito marcante, apesar de ter pouco recurso financeiro me oferecia umas moedas dizendo que era para que eu comprasse doce e que para mim o importante era a presença dela, sabendo que percorrera quilômetros para me dar atenção, (isto significa caridade ao próximo).

Se soubesse que eu poderia estar com algum mal estar o  Anjo Protetor surgia em minha casa me levando ovos de pata do quintal e frutas (genipapo e cajú).

"-Trouxe estas frutas e ovinhos de pata para você  ficar forte e curada muito rápido!"

Nasci com uma grande cicatriz macular no olho esquerdo e no olho direito passei por vários procedimentos cirúrgicos ainda na adolescencia (após meus 14 anos).
Depois dos meus 24 anos  contrai  várias patologias e atualmente sou portadora de uma deficiência visual severa e que graças a Deus está controlada  mas foram incontáveis vezes que a  minha avó Preta me visitou diariamente sempre fazendo percurso caminhando uns  3 ou 4 Kilômetros para me confortar .

Nas festinhas escolares, aniversários em todas as tadas consideradas importantes alí estava a presenca da minha avózinha:

                                            -Vim te ver!

A minha emprestada avó Preta foi a Avó de Inhaúma e viveu cercada de crianças por sua generosidade e bondade.

Como não prestar minha Homenagem a minha Avó Preta emprestada no Dia de Santo Antonio?

Por sua Bondade, Caridade e Fé, tenho certeza absoluta que minha Avó esta em local de muita Luz no Plano Superior.

Que onde quer que esteja neste momento a agradeço por todos os momentos que a mim dedicou com sua presença e palavras de encorajamento, força e Fé.

A minha Avó Preta empre me dizia:

                            -"Tenha Fé que tudo vai dar certo"!
(Minha avó era católica praticante e Fé inabalával nos Santos, São Thiago, São José, Santo Antônio e todos os dias antes dos afazeres diários ía a igreja assistir a missa). 

   Palavras para a agradecer? Não existe, mas quero desejar que em sua Trajetória Espiritual esteja Sempre Repleta de muita Luaz, Luz e Luz.

          Obrigada por tê-la conhecido. Maria lopes.

          (O leitor deverá estar se perguntando mas onde estava a minha avó biológica?
A Raphaella Chacón estava trabalhando numa fábrica de ladrilhos, na realidade sendo explorada pela burguesia, carregando pilhas e mais pilhs de embalagens de ladrilhos e que na hora do almoço os operários não tinham nem sequer um local adquado para a hora da refeição, comiam do lado de fora da fábrica sentados no meio fio da rua. Estão querendo saber que fábrica era esta? A famosa Klabim de Del Castilho), mais isto é assunto para outro momento, por ser hoje o Dia de Santo Antonio.


  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua presença neste Blog.
Maria Lopes.