domingo, 6 de setembro de 2015

Eu sou Anael, Arcanjo.





Bem amados filhos do Eterno, bem amados Filhos ardentes do Sol, façamos, primeiramente, silêncio, para acolher-nos uns nos outros.

… Silêncio…

Eu venho, hoje, dar-lhes alguns elementos concernentes à água do céu, o Cavaleiro da Água.
Eu venho dar-lhes algumas de suas características.

A água, a água do céu é um agente de relação e de comunicação.
A água é o elemento que religa e que vivifica a vida do Espírito.
Assim Cristo disse: «Eu lhes darei a beber da Água de Vida, aquela que sacia e estanca, definitivamente, a sede, que põe fim aos desejos, às buscas, e propicia a Paz, aquela do Espírito reencontrado.».

A água do alto é, para vocês, a Água do Mistério.

A água do alto é nomeada MI, ou seja, o inverso de IM.
E esse IM e torna-se MI e o MI torna-se Miguel.
E o MI torna-se IS, Isis ou Maria.

Vocês ouviram falar, durante numerosos anos, Cristo, Maria e Miguel, que formam a Nova Eucaristia, aquela da água do alto, justamente.
Hoje, é isso que lhes é revelado.

A água do alto é a água da relação, a água do equilíbrio, a água do Espírito e o sopro do Espírito.
A água do alto é fonte de vida, que põe fim à sede, a toda sede, pela evidência da relação, a evidência do Amor e a evidência da comunicação livre em cada uma das etapas do ser, em cada um dos estados múltiplos do ser, nesse mundo, como em qualquer mundo.

A água do céu é a água do Mistério, é a água que lhes é escondida, é a água que foi separada das águas de baixo.

Foi escrito que, no começo, era o Verbo, e que esse Espírito flutuava na superfície das águas.
Porque a água do céu, como a água da Terra é, naturalmente, o agente que religa o superior e o inferior, que religa as dimensões e que as unifica no mesmo Espírito.

A água do alto é, também, o Espírito Santo que se derrama em vocês, na totalidade, doravante, e abre os últimos canais, e torna permeáveis as últimas circulações que não estavam presentes.

A água do alto põe vocês no encanto, aquele da estase, aquele do Apelo de Maria.
Porque, reencontrar e reconhecer sua Mãe é reencontrar e reconhecer seu Feminino sagrado, é honrar a Criação Livre.

Essa água do Mistério é o elemento que faltava às águas da Terra, porque as águas foram divididas e separadas.
Assim, há, mesmo na história da Terra e além dos ritos que lhes evocou No Eyes, há, também, a abertura das águas diante de Moisés.
Há, também, a água do Dilúvio e a água que, há muito tempo, pôs fim ao quarto sol e ao terceiro sol do confinamento.

A água do alto é, certamente, a água da Ressurreição e a água do apelo ao Retorno à sua Eternidade.

A manifestação do Amor vibral nesse corpo efêmero é o Fogo vibral.
A manifestação do Amor no corpo de Eternidade é a água do alto.

A água é, também, o suporte da consciência, não nesse mundo, mas nas águas do alto.
A água é, também, nas dimensões as mais elevadas, o suporte e o médium da comunicação e da relação e, portanto, do Amor.

A água é, também, o que lhes dá a ver e a perceber as suas origens estelares, as suas linhagens estelares, mas, também, dá-lhes a ver o que estava escondido, o que era invisível.

A água do céu realiza a fusão do Céu e da Terra, tanto em vocês como nesse mundo, o que põe fim, aí também, à separação, à divisão e à ilusão.
Ao honrar a água da Terra, vocês chamam a água do Céu.
Ao utilizar, em consciência, a água, vocês atiçam, em si, o apelo do Espírito de Verdade e a manifestação do Espírito do Sol.

A água do alto porá fim aos desejos, porá fim à separação, porá fim, também, ao que é efêmero.

A água do céu, como o Fogo do céu ou o Fogo solar, nomeado planeta grelha, são os dois elementos que se conjugarão, tanto em vocês como na superfície da Terra.

A água do céu, enfim, é, também, o retorno à Androginia Primordial, aquela que não conhece nem polaridade nem sexo nem possibilidade de separar-se da retidão interior.

O melhor recipiente da água do alto é o Cubo, ou seja, Senhor Metatron em pessoa, aquele que se vê junto ao seu Sol e que se revelará nesse mundo, sob a forma da Jerusalém Celeste, e que virá acolhê-los.

A água do alto é, portanto, a Água do Batismo no Espírito e, portanto, de sua Ressurreição.
A água é, também, o médium da Ascensão nela mesma.

A água é, também, o médium entre o aqui embaixo e lá em cima.

Celebrar a água do céu não é, absolutamente, a mesma coisa que celebrar a água da Terra, mesmo se celebrar a água da Terra chame a água do céu.
Vocês vão dar-se conta de que vão, também, em breve, poder celebrar a água do céu, e é Maria que realizará isso, quando de seu Apelo e do primeiro desaparecimento de vocês, durante um tempo tão longo de três dias e três noites.

A água do céu porá fim, portanto, aos limites e à ilusão, do mesmo modo que a água da Terra, em sua conjunção e em sua reunião.

A água do céu, enfim, é o Mistério a viver de sua própria revelação e, aí, nenhuma palavra pode exprimi-lo nem mostrá-lo.

Como Arcanjo da Relação, a minha posição permite-me celebrar, em parte, a água do céu com vocês, aqui mesmo, e em outros lugares, para aqueles que me lerão.
Então, eu deixo, agora, as minhas palavras desaparecerem, para que apareça a celebração da água do céu.
É o que vamos realizar agora, que lhes dá, talvez, já, a perceber o que é isso.

… Silêncio…

Anael agradece-lhes e rende graças por sua Presença e sua Luz.
Até breve.

-----------

http://leiturasdaluz.blogspot.pt/2015/05/anael-maio-de-2015.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua presença neste Blog.
Maria Lopes.